Páginas

Um olhar sobre o bairro Alto da Glória, em Rebouças - PR.

 RESUMO


Resumo do trabalho apresentado em 2011, na disciplina de Geografia Urbana, pelos acadêmicos: Diego Cezar Luis, Erinton Machado, Haroldo J Andrade Mathias, Robson Barankievicz e Tedimar Costa, disponibilizado como fonte de consulta para alunos do Ensino Fundamental.

O objetivo deste trabalho é lançar um olhar panorâmico acerca do surgimento, desenvolvimento e atual estagio em que se encontra o bairro Alto da Gloria, no município de Rebouças, Pr. Sua identidade no recorte espacial dentro do referido município e seu papel no desenvolvimento planejado do espaço urbano. Para tanto, se fez necessário uma revisão bibliográfica buscando o contexto histórico do bairro que se desenvolveu concomitante com a formação do município, por volta do inicio do século XX . Traz também um visão da atual conjuntura do bairro, embora considerado isoladamente, atrelado ao contexto do município no qual se insere.

INTRODUÇÃO

O município de Rebouças teve inicio com a povoação da localidade de Butiazal (atual localidade da área rural do município de Rio Azul), sendo que por volta de
1902 transferida para o lugar onde se encontra atualmente a sede do município  foi nominado Rio Azul, sob a jurisdição do termo de São João do Triunfo pertencente a comarca de Palmeira. 

Estação de madeira - Fotos Luciano Pavloski
Em meados de 1902 com a chegada da estrada de ferro – São Paulo/ Rio Grande do Sul,(Itararé- Uruguai) construída e pertencente a RFFSA (Rede Ferroviária Federal S/A) já na categoria de distrito, passou a se chamar  Antonio Rebouças em homenagem ao engenheiro chefe da construção da ferrovia. 

O distrito foi elevado à categoria de município no dia 31 de março de 1930, pela lei estadual nº 2.738, permanecendo com a denominação de Antonio Rebouças até o ano de 1943, quando foi simplificada para Rebouças devido a homônimo no Estado de São Paulo. O município ainda foi elevado ao termo de comarca pelo decreto estadual nº 93, de 18 de julho de 1936, desmembrando-se do municipio de São João do Triunfo passando a integrar a comarca de Irati, e, foi constituído de apenas um distrito.


Segundo o site Estações Ferroviárias, com a saída dos ferroviários e com o enfraquecimento da exploração da madeira e do mate, Rebouças foi perdendo seu impulso econômico, o movimento na cidade decresceu. O transporte de cargas e passageiros por trens foi sendo desestimulado e, finalmente, em janeiro de 1989, a estação foi desativada. 

Fotos de Luciano J. Pavloski














Antes disso, em 1980, a estação de madeira tinha acabado de ser demolida, e sobre a base do que era a estação, o prefeito insistiu para que se construísse uma estação nova. A estação nova acabou sendo construída e entregue já em 1981. E os trens de passageiros permaneceram, mistos, até 1983, quando uma enchente deixou a cidade isolada e os trens passaram a ser a única opção de entrada e saída da cidade. Mas a enchente foi a desculpa para o fim deles em todo o Estado


A emancipação política do município de Rebouças comemora-se no dia 21 de setembro, data em que são homenageados os primeiros moradores do município entre eles: Lourenço Mourão, Honorato Pinto Ferreira, José Afonso Vieira Lopes, Domingos da Luz, Soares Franco, Hortêncio de Melo, etc.oriundos dos municípios de Contenda - Pr e Lapa – Pr.


Conforme fornecido pela Prefeitura de Rebouças os dados estatísticos referentes ao território e instalação do município são: 

TERRITÓRIO
INFORMAÇÃO

Altitude
778 metros
Desmembrado
São João do Triunfo
Instalação
21/09/1930
Área Territorial (ITCG)
482,065 km2
Distância à Capital (SETR)
167,87 km

Os dados referentes à situação demográfica, política e administrativa são apresentados nas tabelas seguintes:

    ÁREA POLÍTICO-ADMINISTRATIVA
INFORMAÇÃO 
FONTE 
DATA 
   ESTATÍSTICA 
Número de Eleitores
TSE
2008
11.441
pessoas
Numero Total de habitantes      
IBGE
2010
14.176
pessoas
Prefeito(a)
TRE
2009
Luiz Everaldo Zak
Prefeito(a)
TRE
2013
Claudemir dos Santos Herthel

        Percebe-se que o número de eleitores é próximo ao número de habitantes, indicando uma redução da base da pirâmide etária. Em outras palavras, o percentual de pessoas acima de 16 anos (eleitores) cresceu em relação aos menores de 16 anos. Uma tendência que se verifica na maioria das regiões e países, em decorrência de diversos fatores, como maior longevidade, planejamento familiar e métodos conceptivos, entrada da mulher no mercado de trabalho, entre outros.
         Os dados que indicam a faixa etária dos eleitores comprovam esta mudança demográfica.


    Outra questão interessante se trata da cor / raça. Em torno de 71% da população se autodeclara branca. Em Irati, cidade que se destaca pela predominância de etnias eslavas (poloneses e ucranianos), conta com um percentual de 82,5% de pessoas que se autodeclaram brancos, considerando a mesma época. Em Rebouças, apenas 1,6% são da cor ou raça preta, predominando também a cor parda, percentual semelhante ao encontrado em Irati.


Quanto à infraestrutura e aos indicadores socioeconômicos, as tabelas abaixo trazem maiores detalhes.


DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Como pode ser observado na tabela seguinte, Em termos de desenvolvimento econômico, o município tem uma posição pouco confortável, pois apresenta uma taxa de pobreza significativa, um grau de urbanização abaixo da média brasileira (o que por si, não é um indicador negativo), mas demonstra a dependência do setor agrícola.




É evidente também que o município apresenta forte dependência do setor agrícola. Segundo dados do IPARDES (2013) referentes ao total de pessoas ocupadas / empregadas por atividade econômica, verifica-se que e 43% do pessoal ocupado se dedica à agricultura, à pecuária, à produção florestal ou pesca, demonstrando a importância da zona rural município na manutenção das pessoas no campo e na geração de emprego e renda. Importância esta que se reflete na zona urbana, a qual, com predominância de estabelecimentos comerciais, circula o capital gerado, em grande parte, pelas atividades agrícolas em geral.

O setor industrial emprega apenas 13% da população ocupada. A tabela ainda permite verificar que, tendo como base a população estimada de 14.254 (IBGE 2012), apenas 6.453 estão ocupados, o que representa 45% do total da população.

A tabela abaixo demonstra o número de estabelecimentos segundo a atividade econômica e o número de empregados de cada estabelecimento. Nesta tabela pode-se perceber uma característica comum a maioria das cidades pequenas. O setor público, materializado na figura das prefeituras, também representam um importante agente empregador. 

Em Rebouças, a prefeitura, juntamente com as 13 indústrias madeireiras (que geralmente demandam relativamente maior quantidade de mão obra) e com os estabelecimentos comerciais havia 288 pessoas empregadas em 114 estabelecimentos comerciais.





Entretanto, o mais interessante de ser observado é o  IDH. Este índice, formado basicamente por três fatores (taxa de analfabetismo, renda e expectativa de vida), em 2000, era um dos menores da região, perdendo apenas para o município de Fernandes Pinheiro, município este que teve sua emancipação recente e apresenta uma população total menor.



O IDH-M do Paraná em 2010 (mais recente), foi de 0,749 (o 5º Estado no ranking). O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil em 2011 é de 0,718

Ressalta que em seu início, a situação econômica foi fomentada pela extração de madeira (araucária) e erva mate, seus principais meios de renda, onde ao redor da sua estação ferroviária havia uma grande vila ferroviária, muitas serrarias, hotéis e grande fluxo de viajantes mercadores que percorriam o trajeto vindos do Sul e Norte.

Foto: Luciano Pavloski

Hoje, Colégio Júlio César


Hoje, Colégio São José
















Concomitante com o crescimento espacial e populacional do município  surgiram alguns bairros, dentre o eles um em destaque e estudado, o bairro Alto da Gloria, localizado grande parte na área alta do município onde se localiza e se caracteriza pela diversidade de maneiras de ocupação do espaço como: residencial, industrial, comercial, órgãos públicos e religiosos.



BAIRRO ALTO DA GLÓRIA - REBOUÇAS PARANÁ

A figura abaixo indica, de forma aproximada, a localização do Bairro Alto da Glória e sua área adjacente. Maiores detalhes podem ser visualizados no Google Mapas, clicando aqui, ou entrando com as coordenadas decimais -25.615176, -50.693772, sendo o primeiro conjunto numérico as latitudes e o segundo as longitudes. O sinal negativo indica o Sul e o Oeste.

Convertendo estas coordenadas para o sistema de graus, temos as seguinte localização ou coordenada geográfica do bairro: Latitude 25º 36` 54,63089'' S e Longitude 50º 41' 37,5769'' Oeste.


Clique para ampliar




Atualmente o bairro é constituído das seguintes estruturas:

a) área comercial: um escritório de advocacia, um supermercado, uma panificadora, uma mercearia, quatro bares, uma empresa de compra de tabacos, um viveiro de mudas, uma loja agropecuária;
b) no setor de serviços: um lava-car e uma oficina mecânica para automóveis;
c) órgãos públicos municipais e ONG’s: uma escola de ensino infantil e fundamental, uma escola de educação especial, um centro de treinamento e apoio social de adolescentes, um conselho da comunidade, um viveiro municipal de plantas  nativas, um cemitério;
d) órgãos públicos estaduais: um Pelotão de Policia Militar, Fórum estadual (juizado e eleitoral);
e) religiosos: uma igreja católica do rito Ucraniano, uma igreja Evangélica, uma igreja católica Apostólica Romana;
 f) diversão e lazer: um centro cultural e recreativo, um ginásio de poliesportivo, uma associação de funcionários públicos  um centro de tradições gaúchas, uma parque de diversão infantil, uma praça para caminhada e passeios;
 g) indústria: uma empresa de produção de fios elétricos, uma indústria ervateira, uma madeireira, um terminal de entrega e recebimento de grãos da Cargil, uma indústria de farinha de milho, uma empresa de coleta e classificação de material reciclado, uma empresa de cerâmica (tijolos e telhas).




Nova Igreja do rito Ucraniana
Antiga Igreja do rito Ucraniano





Seguindo aos moldes de varias cidades surgidas na mesma época do surgimento de Rebouças, o município mesclou uma mistura de residencial com industrial prevalecendo pelo surgimento de residências indo a contraponto ao sistema de ocupação imposto pelo sistema capitalista desde o inicio da Revolução Industrial onde as cidades se formavam ao redor das indústrias.

Apesar da existência de uma área cedida pela Prefeitura municipal  destinado a instalação de industrias “Parque Industrial”, devido a este modelo de ocupação anteriormente descrito, as empresas que vieram a se instalar no referido bairro, ocuparam terrenos entre as residências influenciados pelo baixo valor dos terrenos e a proximidade com a mão de obra, tendo em vista ser um bairro ocupado basicamente por trabalhadores do setor de produção e bens de consumo.


O bairro oferece infra-estrutura de saneamento básico em 100% de sua área (água e esgoto), iluminação publica, energia elétrica nas capacidades industrial e residencial, porem deixa a desejar no setor rodoviário com apenas uma via asfaltada a qual dá acesso a cidade, algumas ruas de paralelepípedo e sua maioria ruas recobertas com rochas cascalho (folhelho).

Uma das características do bairro é o contraste de residências antigas com construções modernas.



CONCLUSÃO:

Assim sendo, diante da observação do exposto no decorrer do estudo, tomando por base a influencia dos agentes transformadores do espaço urbano no bairro Alto da Glória, observou-se que apesar da influencia do poder publico objetivando a reorganização espacial do bairro ao fornecer um parque industrial, existe uma resistência por parte dos industriais o qual necessitaria de um atrativo, como incentivos fiscais e uma melhor infra-estrutura que viessem a atrair essa organização. Ainda há a falta de um plano diretor do município que venha a impedir a instalação dessas empresas em áreas basicamente residenciais e comercias.


Um maior empenho do poder público na revitalização das estruturas do bairro como asfaltamento, concomitante com a influencia do setor imobiliário elevando o preço dos terrenos o que melhoraria o nível das construções, alavancando o crescimento e desenvolvimento norteado na primeira idéia do surgimento do bairro, identificado como um bairro residencial, porém que ofereça uma estrutura comercial satisfatória e consequentemente melhor qualidade de vida a seus moradores do bairro é o contraste de residências antigas com construções modernas como mostram as fotos.



Resumo do trabalho apresentado em 2011, na disciplina de Geografia Urbana, pelos acadêmicos: Diego Cezar Luis, Erinton Machado, Haroldo J Andrade Mathias, Robson Barankievicz e Tedimar Costa, disponibilizado como fonte de consulta para alunos do Ensino Fundamental do Município.



Fonte dos Dados: Prefeitura Municipal de Rebouças
Acesse o site e tenha mais informações: http://www.reboucas.pr.gov.br

Caderno Estatístico IPARDES - Município de Rebouças (Clique aqui e obtenha mais dados)

Fotos: Luciano J.Pavloski
















Nenhum comentário:

Postar um comentário