Páginas

Urbanização brasileira

Considerando que os conteúdos referentes à industrialização brasileiras foram apreendidos pelos alunos, é possível, a partir das relações existentes, adentrar no processo de urbanização brasileira.

Considerando que a "ocupação" do território brasileiro pelos portugueses (e posteriormente por outros países europeus) se deu, historicamente, a partir do litoral, onde também se desenvolveu a cultura da cana de açúcar, e com ela a implantação dos engenhos e outras infraestruturas, é um marco adequado para iniciar a explicação desse processo histórico.

Com a abertura de novas possibilidades de exploração econômica, a ocupação foi se ampliando no sentido leste-oeste. A exploração do ouro também contribuiu para a ocupação do interior do Brasil. Muitas cidades em Minas Gerais, por exemplo, são frutos desse processo. No Paraná, Paranaguá também se desenvolveu nessa forma. A exploração da borracha também abriu corredores no norte do país.

Merece destaque, entretanto, a cultura cafeeira no sudeste. A qual proporcionou as bases para o processo de industrialização, como visto anteriormente no capítulo sobre industrialização.

Desta forma, a partir de 1930, a industrialização ganhou impulso, atraindo um grande contingente de pessoas da área rural para a cidade, constituindo-se em uma fase de forte êxodo rural.

Como a substituição das importações e com o fortalecimento do mercado interno, ampliou-se o consumo, entretanto, necessitava-se ainda de fortalecer as indústrias de base para acompanhar este processo. Neste período, o governo proporcionou  uma série de incentivos para a industrialização. Houve a criação da Companhia Siderúrgica Nacional, da Petrobrás, en
tre outras.

O Brasil passava então de agroexportador para predominantemente industrializado.

Este contexto contribuiu para um intenso fluxo migratório, já que havia maior oferta de trabalho nas fábricas, a mecanização da agricultura liberava mão de obra e acentuava-se o processo de concentração fundiária.

Assim, além das razões econômicas e sociais, o ambiente urbano exercía pressões psicológicas como sendo um local de oportunidades e desenvolvimento, alimentando sonhos de grande parte da população.

Percebe-se então, com base no gráfico à direita, que o processo de urbanização acelerou-se com grande rapidez. A população brasileira teve um acentuado.
De modo geral, a população brasileira também teve um crescimento espantoso, passando de mais ou  menos 40.00. habitantes em 1940 para mais de 100.000 em 1980, ou seja, mais que dobrou em menos de 40 anos.















O interessante é que a população rural não acompanhou proporcionalmente o crescimento da população urbana.     E é neste ponto que está a chave para a compreensão do processo de urbanização.


Mas o que é realmente urbanização ? Como ela pode ser definida ?


Do ponto de vista da demografia, a urbanização se constitui no processo de passagem da população de predominantemente rural para predominantemente urbana.

Do ponto de vista do planejamento urbano, significa dotar uma área com a infraestrutura necessária para atender as necessidades da população, ou seja, traz uma visão mais material do processo, que nem sempre é satisfeita.



Entretanto, é esta abordagem em torno da população urbana e rural que nos interessa neste momento. Como pode ser visualizado no primeiro gráfico, vemos que percentualmente, da década de 1950 a 2000, a proporção da população rural em relação à população urbana decresceu. Por outro lado, a população urbana teve um intenso crescimento, passando nestes 50 anos de 36% para 82%.

Ou seja, entre as décadas de 1960 e 1970 houve uma inversão. O país deixou de concentrar sua população na área rural para tornar-se predominantemente urbano.

O segundo gráfico apresenta basicamente a mesma situação, entretanto, ao invés de apresentar os valores em comparação percentual, traz os números da população em valores absolutos.

Neste gráfico é possível ver que a população rural (coluna azul) teve um crescimento até a década de 1970, a partir da qual teve uma redução de seu número. O crescimento, porém, foi relativamente menor que o crescimento da população urbana, que teve um rápido e intenso crescimento, passando de 52 milhões em 1970 para 138 milhões no ano 2000.

A última coluna faz uma projeção para o ano de 2050, na qual percebe-se que esta tendência tende ainda a se intensificar mais, reduzindo a população rural e havendo maior concentração na área urbana.

O Mapa seguinte apresenta o nível de urbanização dos estados brasileiros, com base em dados do ano 2000. Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Amapá figuram como as unidades com maior grau de urbanização, superando os 85%. Entretanto, de modo geral, em praticamente todo território nacional o grau de urbanização é elevado, com mais de 70% das pessoas residindo nas áreas urbanas.


Destaca-se, entretanto, que urbanização não é sinônimo de desenvolvimento. O fato de muitas pessoas residirem na área urbana não garante a todas elas o acesso aos atrativos e serviços urbanos, como transporte público, segurança, moradia, saúde, trabalho, etc.

Além da segregação existente, que impede o acesso da população de baixo poder econômico, geralmente decorrente da falta de emprego e da péssima distribuição de renda, muitas cidades não oferecem a infraestrutura e as condições necessárias para atender as necessidades básicas da população.

O planisférios, que apresenta as taxas de urbanização no mundo, pode ser utilizado como subsídio para demonstrar essa realidade e ressaltar estas contradições.




UMA RETOMADA DOS CONTEÚDOS



DINÂMICA COM OS ALUNOS

A fim de reforçar estes conceitos, pode-se trabalhar uma dinâmica com os alunos. Para tanto, será necessário a disponibilidade de balas e de chocolates (bis, por exemplo).
Em uma cadeira deixa disponível uma quantidade de bis menor do que a quantidade de alunos. Digamos que para uma turma de 30 alunos, deixa-se 12 unidades de bis. Em outra cadeira disponibiliza uma quantidade de 10 balas.
Solicita-se então que os alunos, por fila, para evitar desordem, venham pegar uma unidade do doce de sua preferência.
Provavelmente, o estoque disponível de
bis terminá antes. De qualquer forma, não haverá doces suficientes para todos.
Com isso pode-se fazer uma analogia com a disponibilidade de serviços e condições nas cidades. Do total da população, alguns obtêm a satisfação de suas necessidades (bis), outros acabam ficando com alternativas menos interessantes (balas), como por exemplo, trabalhos de baixa remuneração, residindo em favelas, sem acesso à saúde, ao transporte, etc. E outros acabam não recebendo nenhum tipo de atenção ou benefício urbano.
Após explicar o teor da dinâmica, distribuiu-se os doces para todos aqueles que não pegaram.
É interessante etiquetar cada bis com os serviços e atrativos urbanos, pedindo aos alunos que comentem qual destes eles pegaram: escola, creche, saúde, trabalho,  moradia, transporte, etc. favorecendo o entendimento da analogia.


Atividades

1) Assinale V se a questão for verdadeira e F se a questão for falsa

(  ) Entre os anos de 1940 e 1980 houve uma inversão das características da população brasileira, que deixou de ser predominantemente rural para se tornar urbana.

(    ) Ao longo do Século XX, o perfil da economia brasileira modificou-se: de industrializada passou a ser de agroexportadora.

(    ) O processo de industrialização vai além da simples instalação de fábricas em determinado lugar. A industrialização passa a comandar a economia, subordinando outras atividades e exigindo a necessidade de serviços e equipamentos urbanos.

(    ) Com base no mapa que apresenta a urbanização do Brasil, na página 68 do livro didático, os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais  e Goiás são os mais urbanizados.

(    ) O processo de industrialização contribuiu para a redução da saída das pessoas do campo.

(    ) Todo país que alcançou um alto nível de urbanização pode ser considerado também como um país desenvolvido, com condições adequadas de vida a todas as pessoas que habitam seu território, tendo em vista a existência de diversos serviços nas cidades, como escolas, hospitais, creches, transportes públicos, etc.

2) Com base nos conteúdos verificados nas aulas anteriores e na retomada dos conceitos, explique o esquema abaixo.


É possível também apresentar uma música para  introduzir os alunos na temática seguinte, sobre problemas sociais: Que países é esse - Legião Urbana.

2 comentários:

  1. Me ajudou muuuuuuuuuuuiiiiitooooooooooo mesmo *-*
    brigada *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gabriela !
      O fato de ter contribuído basta para justificar a existência do blog !
      Obrigado pela visita !

      Excluir